Galley FM

A galley é a cozinha do avião. É neste cantinho que preparamos as comidas gostosas que são servidas aos passageiros. Obviamente que não cozinhamos nada nessa cozinha, pois tudo já vem preparado, cozido e congelado. A nossa responsabilidade é esquentar as “marmitinhas” e servi-las. Levando sempre em consideração a classe do avião. Enquanto na classe econômica as comidas são servidas em pratos plásticos, na primeira classe usa-se porcelana.

Como toda boa cozinha, é lá que os comissários se reúnem antes e depois do serviço ser realizado na cabine de passageiros. Portanto, muitas são as histórias contadas nesses momentos de descontração. Foi então que se deu início a Galley FM, uma brincadeira, como se fosse a central das fofocas e rumores.

Agora eu gostaria que vocês imaginassem o meu ambiente de trabalho. Um tubo de metal, que acomoda em média 400 pessoas, e mais uns 20 tripulantes. E, é nesse grupo de tripulantes que vamos nos concentrar. Neste momento, imaginem que cada um desses tripulantes vem de alguma parte do mundo, cada um de uma nacionalidade diferente. Misturem todos e dividem-os por 3 galleys em cada avião. Sintonizem e divirtam-se, pois as historias são muitas; algumas para rir e outras para chorar.

 

Preparando um drink esfumaçante na galley

Preparando um drink esfumaçante na galley

 

Então para dar início a série dos contos da Galley FM, dividirei com vocês uma história que aconteceu com um colega de trabalho.

O José estava na galley conversando com uma comissária, que estava toda empolgada pois tinha um voo para o Brasil escalado para o mês seguinte.

Comissária: – Estou tão feliz com o voo para o Brasil. Fica na América do Sul, não é mesmo?

José: – Sim, claro que fica na América do Sul – usando um tom um pouco debochado, “Como assim? Essa menina não sabe onde fica o Brasil?”

A comissária encheu o paciente José de perguntas, e logo em seguida José perguntou:

José: – Qual voo que você tem mesmo?

Comissária: – Buenos Aires.

José ainda rindo, explicou a localização geográfica de Buenos Aires, de uma forma esclarecedora, para que a menina não cometesse esse tipo de erro mortal novamente. Em seguida perguntou de qual país aquela criatura tão desenformada era. A resposta:

Comissária: – Vanuatu.

Se o Didi dos Trapalhões estivesse presente, com certeza ele diria: “Cuma?”. Vanuatu?

Pois é, a galley também é lugar de aula de geografia. E viva as lições da vida.

xxx,

Débora

 

P.s. Vanuatu fica no Oceano Pacífico, perto de Fiji. E viva o Google! 🙂

Por do Sol

Acredito que todos nós gostamos de colecionar alguma coisa. Figurinhas da Copa, potinhos, moedas, selos, amores, e por aí vai. Eu tenho muitas coleções de quinquilharias, como eu diria. Porém, eu tenho uma que é demais de especial. E o melhor é que ela não ocupa espaço, diferente da minha coleção de potes para plantas (somente os potes, pois nem todos possuem plantas dentro).

Portanto senhoras e senhores, apresento-lhes minha coletânea de por do Sol:

Image

Porto Alegre, como todo bairrista, o por do Sol mais lindo do planeta. Será?

Dubai

Dubai

 

Monte Fuji, Japão. Vista do avião, quase pousando em Narita.

Monte Fuji, Japão. Vista do avião, quase pousando em Narita.

 

Ilhas Seychelles

Ilhas Seychelles

Ilhas Mauricius

Ilhas Mauricius

Dubai, vista do Burj Al Arab. Este dia foi especial pois estava na companhia do meu querido amigo Fernando. E, para celebrar este encontro, tomamos um chá da tarde no Burj Al Arab.

Dubai, vista do Burj Al Arab. Este dia foi especial pois estava na companhia do meu querido amigo Fernando. E, para celebrar este encontro, tomamos um chá da tarde, ali mesmo… com esse visual.

 

Cape Sounion. Lugar mágico, que localiza-se a 70kms de Atenas.

Cape Sounion. Lugar mágico, que localiza-se a 70kms de Atenas.

Madrid

Madrid

 

Essa figurinha é a mais valiosa, pois um por do sol em Dubai e acompanhada de minha mãe querida, não tem preço.

Essa figurinha é a mais valiosa, pois um por do sol em Dubai e acompanhada de minha mãe querida, não tem preço.

E, para falar a verdade, eu acertei na loteria em escolher este tema para colecionar. Pois, todos os dias somos presenteados com um novo exemplar, basta parar e apreciar o momento.

xxx,

Débora

Vienna

Eu lembro claramente, que na época de Natal, muitos filmes americanos passavam na televisão. E, todos eles mostravam aquela neve branquinha caindo, pessoas fazendo bonecos de neve, com cenouras servindo de nariz. E nós no Brasil, passando calor. Portanto, eu queria muito saber como era passar um Natal com aquela neve caindo lá fora. Aquela sensação natalina de filme americano, no qual as crianças tomam chocolate quente olhando para rua, assistindo a todos aqueles floquinhos de neve.

Esse pequeno desejo se realizou em dezembro de 2010, na companhia do meu grande amigo Sander, também “aeromoço” (adoro termos em desuso, um tanto quanto vintage). E, não estávamos nos Estados Unidos, e sim em Vienna, Áustria.

IMG_8182                                    Essa foi minha expressão quando o espetáculo se deu inicio, e registrado por Sander.

 

Na verdade, eu já tinha visto neve, mas não caindo, floco por floco, como nos filmes. Que momento.

 

IMG_8203E naquela época nem sabíamos que o termo “selfie” iria ficar tão famoso no mundo virtual, mas aqui está a prova que éramos bem moderninhos e já estávamos nos aventurando com o tal do “selfie”. E, se fosse adicionar um hash tag, seria #selfienaneve.

IMG_8200                    Naquele dia não foi possível fazer boneco de neve, mas presenciar a neve acumulando minuto a minuto, foi mais do que especial.

 

IMG_8214                                  E aos poucos o chão cobria-se com aquele manto branco.

 

IMGP7457                                 A vontade era de coloca-la no bolso e levar para casa, um souvenier do momento.

 

Porém, muitos são os momentos em nossas vidas em que não podemos guardar nada físico, para então mostrar para os amigos e familiares a prova do que foi vivenciado. A lembrança fica no coração e nas fotografias.

 

IMGP7648                                      O dia seguinte acordou assim. Ruas completamente cobertas por neve.

 

IMGP7652                                    E mesmo a uma temperatura baixíssima, Strauss continuava a tocar.

 

Aliás, Vienna é uma terra de grandes artistas, incluindo Mozart, o qual morou aqui de 1781 até sua morte. Vienna inspira música clássica, até nos que não são grandes apreciadores do estilo musical.

 

IMGP7649                                 Que vontade de sentar e continuar assistindo à aquela orquestra de flocos de neve.

 

Mas,

 

IMG_8237                                    era hora de voltar ao trabalho. Hora de levantar voo, rumo a mais aventuras.

xxx,

Débora.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O começo de uma viagem

 

Todos nós temos uma paixão, pode ser grande ou pequena. Eu amo viajar, e esse amor nasceu há muito tempo atrás.

Eu nasci em uma cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Getúlio Vargas. E, aos 4 anos de idade fiz minha primeira grande viagem. Minha mãe e eu nos mudados para Porto Alegre, a capital.

Dona Lúcia, minha mãe, conta essa história até hoje, que ao chegar em Porto Alegre, a pequena Débora olhava muito atenta para todas aquelas luzes e dentro do táxi falou :

– Como é grande esse Porto Alegre.

paisagem noturna

E essa frase, então, ficou marcada. E, até hoje quando eu ligo para ela, de algum lugar distante que eu esteja, ela brinca ” e esse lugar é grande como Porto Alegre?”

xxx,

Débora

Zimbabwe

Noutro dia eu fui parar em Harare, Zimbabwe. De dentro do ônibus que nos levava do hotel até o aeroporto, eu observava as pessoas que pelas ruas e calçadas andavam. Harare é uma cidade que já passou por muitos conflitos, e isto reflete nas pessoas que por ali vivem. Mesmo entretida com a vista, eu ainda ouvia a algumas conversas dos meus colegas comissários que estavam no ônibus, talvez pouco atentos à realidade que os rodeavam. Alguns reclamavam de seus voos, outros do hotel, o qual não estava nos padrões que eles consideravam aceitáveis para um comissário de bordo de tal companhia aérea, na qual eu trabalho. Algumas meninas comentavam sobre maquiagem, cor de cabelo e assim por diante. Eu decidi focar na rua, e naquele momento comecei a fazer uma prece.

Há algum tempo atrás li um livro chamado “The Magic”, da autora Rhonda Byrne. A mesma que escreveu o então “bestseller”, ” O segredo”. Um livro de auto ajuda, ou para muitos, de muita ajuda. Basicamente ele te ensina a sermos gratos pelo que temos. Portanto, nos dá dicas ou exercícios para praticarmos a gratitude. Uma das tarefas sugerida pelo autor seria fazer uma lista diária de dez coisas pelas quais somos gratos em tê-las. E, foi então que dentro daquele ônibus, cruzando Harare que eu comecei a fazer a minha lista do dia.

1. Sou grata pela minha família;

2. Sou grata por ter a profissão que tenho;

3. Sou grata por poder viajar tanto;

4. Sou grata pela água limpa que bebo;

5. Sou grata por morar em Dubai;

6. Sou grata pelos amigos que me rodeiam (que são poucos, mas verdadeiros);

7. Sou grata de ter minha sobrinha morando em Dubai, a Tamara. Assim eu posso sentir um pouco do calor da família pertinho de mim.

8. Sou grata pelo namorado que tenho;

9. Sou grata por ter dinheiro na minha conta bancaria;

10. Sou grata pelo carro que tenho, que chamo de filha, a Mia.

Enfim, esses foram os pensamentos daquele momento. Pois o livro nos motiva a fazer esse exercício diariamente. Desta forma, muitos são os agradecimentos, de pequenas a grandes coisas.

 Mãe carregando bebe

 E, ao ver essas mães carregando seus bebês nas costas e mantimentos na cabeça, me ocorreu o seguinte questionamento: ” Se essa senhora (da foto) tivesse que fazer uma lista, como sugere o livro, o que será que ela incluiria nesta lista?”

Sejamos gratos!

Fica a dica! Bom final de semana para todos.

xxx

Débora