Nice

Adoro meu trabalho, porque apesar dos pesares, estou sempre viajando. E, de todas as profissões  que já exerci em minha vida, ser comissária de bordo tem sido uma das melhores escolhas. Porém, o melhor mesmo, é viajar de férias. E, neste mês de julho tirei uns “diazinhos” e juntamente com minha sobrinha Tamara, seguimos a caminho de Nice, França.

DSC_0632

Nice é uma cidade francesa, situada no departamento francês dos Alpes Marítimos e na região de Provença-Alpes-Costa Azul. Nice conta com 344.890 habitantes (2008) e sua área metropolitana tem cerca de 1 milhão de habitantes (2010). Depois do Congresso de Viena (1815), voltou a fazer parte do reino da Sardenha, um dos que formaram a Itália moderna. Foi “anexada” à França em 1860, por meio do tratado de Villafranca. Algumas placas indicam, além da forma francesa Nice, a forma provençal Nissa. A origem do nome vem do grego Nikaia – vitoriosa – e a versão latina é Nicæa. (wikipedia) Foto: Débora Beluca

Verão na Europa é o máximo. As temperaturas estão agradáveis e os dias são longos. Nice tem muitas opções para passeios, sejam eles culturais ou de puro prazer. (como beber um vinho rosé ao som dos músicos de rua) Aqui viveu um pintor francês bem conhecido: Henri Matisse. Tive a oportunidade de conhecer o museu de Matisse, no qual podemos conhecer um pouco de sua arte e vida. Ao entrar na loja de souvenir do museu peguei um livrinho para crianças no qual explicava em uma linguagem muito simples a vida de Matisse. Dizia mais ou menos assim: Henri Matisse nasceu na França em uma cidade sem cor. Desde criança sonhava com as cores. Seus pais acreditavam que o menino sonhador não servia para nada. Depois de grande, foi estudar Direito em Paris, mas devido ao stress dos estudos, pois não servia para ser advogado também, teve uma crise de nervos e foi parar no hospital. Enquanto no hospital, conheceu um paciente que estava ao seu lado. O tal colega de quarto gostava de pintar. Foi então que Henri pediu para sua mãe comprar uma maleta de tintas e pincéis e começou a pintar. Descobriu-se que ele servia para alguma coisa: colorir a vida em suas telas. Mudou-se para Nice, pois era apaixonado pelos azuis daquela terra. E, seguiu a vida pintando e foi feliz para sempre.

DSC_0005

E tem azul em abundância em Nice. (Mar Mediterrâneo)

DSC_0039

Tem amarelos que se juntam ao azul do céu. (Praça Garibaldi)

DSC_0543

Inúmeras tonalidades de verde. (Parque ao lado do museu de Matisse em Nice)

DSC_0533

Os vermelhos do Museu de Matisse.

DSC_0608

Há pretos e brancos que acabam colorindo-se ao juntarem-se com as demais cores da cidade.

Concordo com Matisse , pois é fácil apaixonar-se por Nice. Eu, mesmo não servindo para ser pintora, me encantei com a cidade.

Anúncios

Paris

Eu estava em um voo de Praga, República Checa, para Dubai. Minha colega de cabine era do Quénia, e logo após o serviço de bordo ser finalizado sentamos na galley (a cozinha do avião) e começamos a conversar.

Eu estava radiante, pois após aquele voo eu tinha 5 dias de folga, e ia ter o privilégio de ir para Paris passar uns dias com minha sogra, Marilde.

Fiona: Vamos pousar no final de semana em Dubai, quais teus planos?
Eu: Vou passar este final de semana em Paris.
Fiona: Sozinha?
Eu: Não, vou com meu namorado visitar sua mãe, que está em Paris.
Fiona: Ah! Que legal, ela é francesa?
Eu: Não, ela é brasileira! Ela alugou um studio em Paris, e está concretizando um grande sonho dela, que é passar uma boa temporada na França, vivendo o dia dia do lugar. Como uma verdadeira francesa!
Fiona: Nossa, que espírito jovem da tua sogra.Quantos anos ela tem?
Eu: 57.
Fiona: Meu Deus, que corajosa, e ela fala francês?
Eu: Oui! Fala muito bem o francês. E, não é só isso, ela tem um blog, no qual ela posta todas essas vivências maravilhosas. Um presente para nós leitores.

Fiona não falou mais nada.

De certa forma me me traz desconforto essa ideia que as pessoas tem sobre idade. Se tens 20 deves se comportar de tal forma. Se os 30 chegaram, meu deus! Seu comportamento deve ser de outra forma…nos 40, não podes usar isso, ou dizer aquilo. Aos 50?? O que nos resta? Ficar em casa fazendo tricô? Bom, eu tenho 36 e adoro fazer crochet. Eu acredito que não existe idade para nada, basta querer realizar um sonho e correr atrás. Sim, minha sogra (também acho estranho esse título), Marilde é muito corajosa, pois para sair do conforto de sua casa e encarar o mundo, tem que ter coragem. E isso é válido para qualquer idade.

securedownload-32

Olha que prédio maravilhoso. Le Dome, fica bem pertinho da casa de Marilde. Impossível não parar por ali e tomar uma taça de vinho. Tem café também, mas Paris parece sempre te convidar para uma boa taça de vinho.

 

Vista da janela do quarto do studio, na Rue Legendre, Les Batignolles - Paris

Vista da janela do quarto do studio, na Rue Legendre, Les Batignolles – Paris

No domingo, decidimos ir para Versailles. No caminho, uma parada na feirinha. Frutas, legumes e saladas de dar água na boca.

No domingo, decidimos ir para Versailles. No caminho, uma parada na feirinha. Frutas e verduras de dar água na boca.

Na porta de entrada do prédio da casa parisiense de Marilde.

Na porta de entrada do prédio da casa parisiense de Marilde.

Como muitos prédios em Paris, não tinha elevador no prédio. Eram 4 lances de escadas. Um exercício diário.

Como muitos prédios em Paris, esse também não tinha elevador: 4 lances de escadas. Um exercício diário.

O Palácio de Versailles. Nossa querida guia sabia o caminho direitinho. Com seu caderninho secreto em mãos, lá tinha cada detalhe sobre os trens e estações que devíamos descer.

O Palácio de Versailles. Nossa querida guia sabia o caminho direitinho. Com seu caderninho secreto em mãos, lá tinha cada detalhe sobre os trens e estações que devíamos descer.

Para quem me conhece, sabe como eu sou apaixonada por portas. E, essa então? Folhada em ouro. Simplesmente magnífica.

Para quem me conhece, sabe como eu sou apaixonada por portas. E, essa então? Folhada em ouro. Simplesmente magnífica.

Marilde nos conduziu pelo Versailles. Comprou nossas entradas pelo website.

Marilde nos conduziu pelo Versailles. Comprou nossas entradas pelo website.

Os tetos pintados do Palácio de Versailles. Obras de artes incríveis.

Os tetos pintados do Palácio de Versailles. Obras de artes incríveis.

Portão do Palácio de Versailles. Imponente, e à altura dos que ali já habitaram.

Portão do Palácio de Versailles. Imponente, e à altura dos que ali já habitaram.

A cama da Maria Antonieta. Eu e Marilde tentávamos entender como que a Rainha dormia em uma cama tão pequena. Um palácio gigantesco, porém uma cama apertadinha.

A cama da Maria Antonieta. Eu e Marilde tentávamos entender como que a Rainha dormia em uma cama tão pequena. Um palácio gigantesco, porém uma cama apertadinha.

No segundo dia em Paris, fomos levados pela Marilde neste museu lindo, o L'Orangerie. Pude ver obras  de Claude Monet.

No segundo dia em Paris, fomos levados pela Marilde neste museu lindo, o L’Orangerie. Pude ver obras de Claude Monet.

Marilde tem dois filhos lindos, O Gustavo (meu namorado) e a Gabriela. Nestes dias o Gustavo pode ganhar um carinho dessa mãe coruja.

Marilde tem dois filhos lindos, O Gustavo (meu namorado) e a Gabriela. Nestes dias o Gustavo pode ganhar um carinho dessa mãe coruja.

Uma paradinha para descansar no Jardin de Tuilleries.

Uma paradinha para descansar no Jardin de Tuilleries.

Marilde querida, fica aqui registrado minha admiração por ti, e por todas essas tuas vivências maravilhosas. Eu adoro Paris, mas em tua companhia foi muito melhor.

 

p.s. Acompanhe o blog da Marilde também!

http//vivenciasdemarildinha.blogspot.com.br